PÉROLAS DO SENADINHO

[PÉROLAS DO SENADINHO]

CRIAÇÃO IMORTAL DE EPIDAURO PAMPLONA

DELMIRO GOUVEIA I: “A ÁGUA QUE SEGURA O BARCO TAMBÉM O AFUNDA!”

No sentido figurado a frase acima mostra o que aconteceu politicamente na terra do pioneiro Delmiro Gouveia, recentemente. Em 2016, através do voto, o povo colocou na Prefeitura Municipal o popular padre Eraldo, crítico ferrenho da administração do ex-prefeito Luís Carlos Costa que, diga-se de passagem, e é fato notório, foi um divisor de águas que mudou para melhor o cenário político/administrativo/arquitetônico da cidade, em suas gestões como prefeito. Contudo, logo nos primeiros meses da administração do religioso que contratou a maioria do secretariado desconhecida dos delmirenses, começaram a pipocar denúncias de malversação do erário, juntamente com o suposto aliciamento unânime dos vereadores da Câmara Municipal. Fato inusitado na política alagoana. “No frigir dos ovos”, apesar de contar com a “máquina” da Prefeitura, nas eleições de 2020, o gestor eclesiástico foi derrotado nas urnas por Ziane Costa, MDB, senhora do clã do lendário Lula Cabeleira.

DELMIRO GOUVEIA II: “DE PIRES NA MÃO?”

A expressão “de pires na mão” significa que está falido, quebrado, cofres vazios, etc. Com os processos em andamento por desvios de verbas e corrupção impetrados pelo Ministério Publico, além dos gastos de campanha, não será surpresa se a nova gestão empossada encontrar as finanças do município no vermelho. A pífia administração do governo padre Eraldo que não cumpriu as promessas de campanha principalmente com os mais necessitados deixando de executar as obras de saneamento público nos bairros mais carentes, irá sobrecarregar a gestão Ziane Costa que terá muito a fazer na questão social que engloba Saúde, Educação, Segurança e outras necessidades gritantes da população. O turismo certamente será uma das prioridades da administração eleita que deverá também provocar a iniciativa privada dando-lhe condições para promoção de emprego e renda no campo e na sede. Enfim, novos tempos, novas diretrizes...

“FAVAS CONTADAS!”

É uma expressão que se refere a um fato ou acontecimento dado como certo. A eleição do vereador do PSD, Pedro Macário Neto, para mais um mandato como presidente da Câmara de Vereadores de Paulo Afonso, faz jus a esta afirmativa popular, no entanto, a votação por unanimidade dos parlamentares da Casa de Cultura Política é inusitada e incompreensível para o dividido eleitorado que foi às urnas em 15 de novembro passado. Contudo, o histórico de vida pública e política embasado na honestidade com o erário e o bom relacionamento com os vereadores situacionistas e oposicionistas, são, decididamente, predicados profícuos e dignos dos votos ecumênicos recebidos. Parabéns, presidente!

GLÓRIA-BA I: BOM SENSO!

Na penúltima sessão da Câmara Municipal os vereadores aprovaram os salários vigentes do prefeito, secretários e seus próprios vencimentos de acordo com o decreto do gestor reeleito, David Cavalcanti, PP, que, no início do seu primeiro mandato, reduziu os salários de todos os citados, inclusive o seu. Em tempos de Pandemia e de “vacas magras” na economia, a decisão dos parlamentares foi recebida com elogios dos munícipes do campo e da cidade.

GLÓRIA-BA II: RESULTADOS!

Reeleito com uma votação mais que expressiva, o prefeito David, do clã Negromonte, foi reconhecido por seus eleitores pelo trabalho profícuo que vem executando desde as gestões da carismática prefeita Enna Vilma que, diga-se, nesse sentido, marcou o antes e o depois da cidade que ora aparece nos cenários baiano e nacional como forte produtora na piscicultura, nos hortifrutigranjeiros e detém o balneário fluvial mais bonito do Nordeste que encanta turistas de todo país, apesar do famigerado COVID 19. Neste quadro pujante, o apoio do atuante deputado federal, Mário Negromonte Júnior, PP, foi fundamental para estas realizações e será, com certeza, a mola propulsora para mais desenvolvimento a curto, médio e longo prazo na terra do padroeiro, o casamenteiro Santo Antônio.

PAULO AFONSO I: RECADO DAS URNAS!

O resultado das eleições majoritária e proporcional em Paulo Afonso em novembro de 2020, mostrou o desejo de mudança da gestão pública vigente de grande parte do eleitorado, haja vista a votação relevante do segundo colocado que perdeu por apenas 805 votos de um montante de mais de 60 mil sufrágios. As “vozes roucas das ruas”, lembrando o saudoso Ulisses Guimarães, fizeram-se ouvir através dos brancos e nulos, das abstenções e dos impedimentos da pandemia que não deixaram os votantes comparecerem às urnas. Destarte, quase que um vereador eleito com o mínimo de votos em primeiro mandato e sem estrutura financeira, chegou perto de assumir a cadeira do Paço Municipal da propagada capital da energia.

PAULO AFONSO II: PIOR CEGO É O QUE NÃO QUER VER...

Na máxima popular de que o povo aumenta, mas não inventa, e na assertiva latina do relata refero, (fala-se o que se fala), o secretariado e cargos comissionados da Prefeitura Municipal ocupados por prepostos desde as gestões do ex-prefeito e também candidato a prefeito, Anilton Bastos Pereira, dividiram-se entre o apoio a este, e, outros, engessados politicamente, camuflaram-se no apoio ao prefeito Luiz de Deus acreditando que o “Branco”, como é alcunhado por seus partidários, voltaria para o seu quarto mandato à frente do Executivo municipal. Nitidamente, “era um pé lá e outro cá”. Ledo engano. As urnas atestaram para Luiz em primeiro, Mário Galinho em segundo e, para decepção de muitos na Prefeitura, o ex-prefeito Anilton, apesar de todo aparato logí$tico, midiático e cabos eleitorais, ficou apenas em terceiro lugar.

PAULO AFONSO III: URGEM-SE REFORMAS!

Diferente da iniciativa privada que visa o lucro em ativo$, a gestão pública, além de resultados proveitosos, tem como objetivo a satisfação do povo, titular absoluto em uma democracia. Neste paradigma, não é mais aceitável a continuação de pessoas por longos anos ocupando cargos técnicos sem pertinência nenhuma com a ciência política e o interesse público, à proporção que os gestores são alternados ou não de quatro em quatro anos pelo voto popular. No caso concreto, a Prefeitura de Paulo Afonso tem sido o porto $eguro de muitos “gregos e troianos” que pouco ou nada produzem em detrimento dos desempregados da cidade que almejam dias melhores trabalhando no serviço público ou não. Uma reforma politica/administrativa seria bem vinda em tempos de incompetência e incoerência política. O alerta das urnas foi dado.

“JOGO DE CINTURA”

O vice-prefeito eleito, Marcondes Francisco, PSD, detentor de oito mandatos de vereador, escolhido através de pesquisa popular para compor a chapa com o candidato reeleito para prefeito Luiz de Deus, na antevéspera do Ano Novo, esteve visitando algumas repartições da Prefeitura Municipal de Paulo Afonso. No dia 30 de dezembro tomou o café da manhã com os fardados da Guarda Municipal e ouviu narrativas da categoria e, em seguida, esteve na Casa do Conselho Tutelar onde é feito um relevante trabalho de função social de apoio às pessoas vulneráveis vítimas de maus tratos físicos, psicológicos e sexuais. Sem dúvida, Marcondes, doutor por excelência em Direito, por seu expressivo “jogo de cintura”, será o elo político, harmônico e construtivo entre o Poder Municipal e o povo. Quem viver verá!

EPIDAURO PAMPLONA

“O problema com o comunismo é que um dia o dinheiro dos outros acaba”. M.T.